By victor / Programação / 0 Comments

Engenharia da Computação – Vale a pena? Dá dinheiro? É noturno?

Você já teve vontade de ser engenheiro, gosta de computação e programação e quer ganhar um bom dinheiro para projetar e desenvolver Hardware e Software para as mais diversas áreas da computação? Então talvez a Engenharia da Computação seja o curso perfeito para você!

Nesse artigo, você vai conhecer um pouco mais sobre a profissão do Engenheiro da Computação, em quais áreas ele pode atuar, como é a graduação, quais as melhores universidades do Brasil e seus horários e qual o salário para a profissão no mercado Brasileiro.

A profissão do Engenheiro da Computação

O Engenheiro da Computação pode trabalhar com o desenvolvimento de circuitos eletrônicos, sistemas embarcados e Hardware no geral. Também pode trabalhar no desenvolvimento de software ou no gerenciamento de redes de computadores. Ele pode atuar em industrias de eletrônicos e computadores, empresas de software, empresas da área automobilística e outras que necessitam unir software e hardware. Em alguns casos, o Engenheiro da Computação pode acabar trabalhando somente com software, ou somente com hardware. Também há uma ampla necessidade de engenheiros em cargos de gestão de áreas de engenharia ou até mesmo de toda uma industria.

engenharia da computação

O engenheiro também pode atuar no desenvolvimento de novos produtos ou processos. Partir para o empreendedorismo também é uma opção muito boa e que pode trazer um excelente retorno financeiro.

Como é o curso de Engenharia da Computação

Na maioria das universidades, o curso é predominantemente noturno, com duração de no mínimo 5 anos. Nos primeiros anos, o aluno se depara com a base de qualquer engenharia: muitas disciplinas de matemática, física e alguma coisa de química. Boas universidades também vão disponibilizar muitas aulas práticas, desde o inicio. Um exemplo disso é nas disciplinas de física, que muitas experiencias práticas serão realizadas para que o aluno se habitue a aplicar em projetos reais os conceitos aprendidos em sala de aula.

A partir do terceiro ano, o curso entra nas disciplinas mais especificas, onde o aluno começa a aprender os primeiros conceitos de circuitos e começa a visitar o laboratório de elétrica e eletrônica. Nos últimos anos de curso, começa a especialização na área. Na Engenharia da Computação, o foco será para sistemas embarcados, programação, redes de computadores, processamento de sinais, projeto de PCIs e eletrônica aplicada.

O que o aluno aprende na graduação em Engenharia da Computação

Nesse inicio de curso, o aluno aprenderá muito cálculo, derivadas, integrais simples, duplas e triplas, equações diferenciais,  séries e transformadas, matrizes, vetores e muita álgebra. Nas cadeiras de física, o aluno aprenderá conceitos de mecânica, cinemática, termodinâmica, ondas, ótica e a temida disciplina de electromagnetismo e teoria eletromagnética. Também são aprendidos alguns conceitos básicos de química, assim como o uso do laboratório de química.

Na metade do curso, o estudante de Engenharia da Computação começará a aprender conceitos de análise de circuitos, fundamentos de eletrônica, sinais e sistemas, eletrônica digital e programação. Nessa parte do curso, o aluno aprende a montar circuitos, utilizar microcontroladores como o Arduino, projetar e executar sistemas de automação simples e dominar conceitos de eletricidade, que necessitarão toda a base matemática aprendida no início do curso.

No final do curso, começam as disciplinas bem especificas da graduação de Engenharia da Computação. O aluno aprenderá sobre circuitos eletrônicos, sistemas embarcados, redes de computadores, inteligência artificial, eletrônica aplicada, instrumentação eletroeletrônica, desenvolvimento de placas de circuito, programação e energias renováveis (como a fotovoltaica, que está muito forte nos dias de hoje).

Em universidades federais provavelmente o curso vai exigir dedicação integral, mas, em universidades privadas, o aluno pode conciliar trabalho e estudos, o que permite estagiar na área e ter muitas experiências profissionais na área da computação ao longo da graduação.

Perfil do futuro engenheiro

Para completar a façanha de passar pelo curso de graduação, o indivíduo tem que gostar MUITO de matemática e física, pois ele vai passar horas, horas e mais horas resolvendo sistemas lineares, equações diferenciais, integrais triplas ou tentando entender como funciona a transformada de fourier. Isso tudo para aplicar todos esses conceitos matemáticos em física, e depois aplicar a física e a matemática na eletrônica. Também é muito importante gostar de programação, já que ela será primordial para o Engenheiro da Computação, que terá como função integrar Hardware e Software.

engenharia da computação

Também é muito importante ter uma mente criativa e gostar de resolver problemas e montar coisas. Na vida do engenheiro, não vão faltar situações em que ele vai ter que criar algo para resolver um problema, desenvolver um projeto ou encontrar uma solução criativa.  E por conta dessa capacidade de resolver problemas, muitos engenheiros acabam subindo para cargos de gestão e liderança nas empresas. Por isso, também é primordial o engenheiro saber trabalhar com pessoas, e saber liderar. Desde a graduação, serão desenvolvidos muitos projetos em grupo para o futuro engenheiro já ir se acostumando.

Depois de formado, é muito importante o engenheiro se manter atualizado, pois novas tecnologias sempre vão surgir, cabe ao engenheiro ser capaz de dominar essas tecnologias. O mundo da computação muda em uma velocidade enorme, é necessário se atualizar constantemente.

Quais são as melhores universidades?

Existem ótimas universidades, tanto públicas como privadas que disponibilizam o curso de Engenharia da Computação. Existem milhares de rankings na internet com as melhores universidades do Brasil, ou com os melhores cursos de engenharia de da computação do Brasil.O ranking se baseia na nota do Enade, uma avaliação que leva em conta uma série de critérios, e classifica a universidade com uma nota de 1 a 5. Apesar de tudo, provavelmente a melhor universidade para você vai ser aquela que se encaixa nas suas condições financeiras, geográficas e de horários.

Antes de prestar o vestibular, visite a universidade e conheça as suas instalações, converse com pessoas que estudam e trabalham lá, veja avaliações e quem são os egressos dessa universidade. Olhe se a universidade tem muitos laboratórios e bem equipados, se ela possui boas salas de aulas, veja qual a formação acadêmica dos professores e se eles atuam no mercado de trabalho local ou em pesquisa cientifica.

Caso você necessite de bolsas ou financiamentos, veja se a universidade tem parcerias com os programas de bolsa ou financiamento que você pretende utilizar. A mensalidade do curso pode facilmente ultrapassar R$3.000 por mês em universidades privadas.

O mercado de trabalho para Engenharia da Computação

Em um país em constante desenvolvimento tecnológico, engenheiros da computação são fundamentais em um mundo onde computadores estão por toda parte. Olhe somente para sua casa, e veja quantos computadores existem nela, incluindo celulares, Smart TVs e outros aparelhos. Isso sem contar a sua atuação nas industrias. O mercado está aquecido no Brasil e tende a melhorar nos próximos anos.

O engenheiro da computação pode atuar na industria de hardware e software assim como projetar e desenvolver circuitos eletrônicos para diversas outras empresas. É possível também atuar no desenvolvimento de novos produtos, como gestor e na otimização de processos.

O salário do Engenheiro da Computação

Segundo a Lei 4.950-A/66, de 1966, criada para regulamentar a remuneração de profissionais com diploma em Engenharia, Química, Arquitetura, Agronomia e Veterinária, o salário mínimo do Engenheiro da Computação está vinculado ao valor do salário mínimo e a jornada de trabalho do profissional, valendo para todo o Brasil.

  • 6 horas diárias: 6 salários mínimos – R$5988,00 (salário mínimo vigente em 2019)
  • 7 horas diárias: 7,25 salários mínimos – R$7235,5 (salário mínimo vigente em 2019)
  • 8 horas diárias: 8,5 salários mínimos – R$8483,00 (salário mínimo vigente em 2019)

Um profissional com ampla experiência, atingindo cargos de gestão, pode atingir salários na casa dos R$50.000,00 por mês.  O problema é quando as empresas contratam engenheiros como analistas, e então não pagam o piso. Elas fazem isso para que ele ganhe experiência, para que talvez um dia seja contratado como engenheiro.

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *